Andanças

Emigrando para a Irlanda

Faz hoje uma semana que estou na Irlanda. Sendo cedo para grandes balanços, já consigo transmitir algumas dicas para quem queira ou precise seguir o mesmo caminho.

Salto a parte de encontrar emprego, porque já vim com ele assegurado. Assim sendo, a minha principal tarefa à chegada foi encontrar casa.

“O” site da especialidade aqui é o daft.ie. Tem muita oferta, mas também muita procura. É muito comum vermos um anúncio recente, tentarmos estabelecer contacto e o local já estar nas mãos de outro inquilino. Eu não sofri muito com isso porque até nem estou no centro da cidade, mas estejam preparados para ser pacientes. Aconselho também a fazerem logo contacto telefónico, porque nem sempre respondem aos mails.  Ou seja, assim que chegarem, arranjem também um cartão SIM irlandês.

Tipicamente os contratos de arrendamento são no minímo de um ano, mas não se preocupem muito com isso: na Irlanda não é ilegal sub-alugar ou re-atribuir o aluguel a outra pessoa. Se depois quiserem ou tiverem de ir embora, “só” tem que tratar de arranjar novos inquilinos. Estejam preparados também para, à cabeça, dar um mês de renda e outro de caução, mas isso também é o normal em Portugal.

Antes de mais, para serem alguém aqui, precisam de um PPS number. O PPS number é um identificador que corresponde ao número de contribuinte/número de segurança social em Portugal. É simples de pedir, bastando apresentar um documento válido (passaporte/cartão do cidadão) e uma morada. É aqui que a porca pode torcer o rabo, porque:

  • Para ter PPS number, é preciso uma morada
  • Para fazer um contrato de arrendamento, é preciso um PPS number

Ciclo infinito… a solução? Ou dar a morada de algum conhecido, que foi o que fizemos, ou dar a morada do hotel em que estão alojados, e fazer a alteração para a morada definitiva à posteriori.

Como  também interessa que comecem logo a cair euros de proveniência Irlandesa nos nossos bolsos, é conveniente abrir assim que possível uma conta bancária. Aqui também varia: alguns bancos pedem o PPS number e um comprovativo de morada (uma conta, que não temos), outros possuem balcões que aceitam cartas de empresas dos arredores (foi o nosso caso), é uma questão de se informarem.

Pode acontecer também que certas empresas ou senhorios exijam registro criminal, portanto, peçam-no no país de origem antes de virem, e traduzam-no através de um tradutor certificado. Quem for casado e/ou tiver filhos, que traga e traduza também os assentos de casamento e nascimento, pois mesmo que não tragam de imediato as vossas crias, podem pedir logo o Child Benefit, que ainda é 130€ por criança, o que é uma boa ajuda.

Especificamente para Dublin, aconselho também que façam logo um Leap Card, que é um cartão recarregável para andar nos transportes, e que se compra em várias lojas por toda a parte. Sem ele, o sistema é chato: nos autocarros de Dublin os motoristas não aceitam notas nem dão trocos, temos que dar o valor exacto ou ficamos sem troco; apesar de se poder pedir reembolso à posteriori na central, é um sistema muito chato. Essa dica vale para turistas também.

Quando souber mais, vou partilhando.

I miss my girls, madly.

Standard

6 thoughts on “Emigrando para a Irlanda

  1. Pingback: Emigrando para a Irlanda – PPS Number » Y.

  2. Bárbara says:

    Boa tarde.
    Estou na Irlanda á pouco tempo, vou agora fazer o pps number mas não tenho comprovativo de morada. Basta apenas dar a morada de onde estou ou é necessário algum documento extra?
    Obrigada 🙂

    • Y. says:

      Além de um documento com fotografia (cartão do cidadão/passaporte etc) é sempre preciso um comprovativo de morada; esse comprovativo pode ser simplesmente uma carta de alguém que tenha contrato de arrendamento a dizer que confirma que vives nessa morada (foi o que fiz para a minha esposa, ela também não tinha comprovativo).

    • Y. says:

      Eu fiz uma muito básica, apresentando-me (Ygor Cardoso PPS blabla) e declarando sob compromisso de honra que a minha mulher e filha viviam comigo no endereço tal. Assinei e levei cópia do contrato de arrendamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.