Andanças

Trazendo o carro para a Irlanda #2

Comecei o Fevereiro cheio de moral para escrever, mas de repente mudamos de casa e a moral passou para outros trabalhos. Agora estamos morando em Boroimhe, que lê-se…. Boriva. Welcome to Ireland.

Mudança de casa, mudança de matrícula do carro. Alguém se lembra de eu ter dito aqui que tinha trazido o meu carro para a Irlanda? Setembro do ano passado? Pois é, o processo só teve fim agora!

Então a história é a seguinte: quem for proprietário de um veículo por mais de 6 meses no estrangeiro (o que é o meu caso) está isento de pagar o VRT, que é o imposto automóvel irlandês. Assim que o carro “aterra” na ilha, dispomos de 7 dias para fazer uma marcação num centro de inspeções (NCTS) e de 30 dias para efetivamente levar o carro até eles para atribuírem matrícula.

O detalhe é que a isenção do VRT não é concedida pelo NCTS, mas pelas finanças (Revenue Commissioners), e é um processo completamente à parte; se chegarmos no NCTS sem a carta comprovativa da isenção, temos que pagar na mesma o imposto e depois somos reembolsados se o pedido de isenção for diferido.

Ora, não estive disposto a pagar o imposto, e daí a demora… para começar, o processo é algo draconiano, que requer cerca de 1 kg de papéis comprovativos de tudo e mais alguma coisa, não só do carro como de nós próprios (comprovativos diferentes de residência da Irlanda e do país de origem, contas, recibos de viagem, extratos bancários…).

Reuni esse atentado ao ambiente, enviei para o pessoal das finanças, mas cometi o erro crasso de não enviar em correio registado e o pedido…. sumiu, ninguém sabe ninguém viu, com livrete original do carro incluído e tudo.

Na segunda tentativa, lá aceitaram que o erro tinha sido deles e “comeram” o pedido mesmo sem ter os documentos originais. Isto nas finanças; para atribuírem a matrícula, precisam impreterivelmente de ter o livrete original para enviar para o governo do país de origem dar baixa, e lá tive que esperar mais uns meses até o IMTT enviar-me a segunda via…

Moral da história: preparem-se muito bem antes de entrar num processo destes, garantam que possuem toda a papelada de que necessitam, e nunca, nunca confiem cegamente nos correios, em qualquer país que seja. Depois falo do seguro, da inspeção e do annual motor tax…

Fontes:

Citizens Information – Importing a vehicle into Ireland

NCTS – FAQ

Standard

One thought on “Trazendo o carro para a Irlanda #2

  1. Filipe says:

    Boa noite,

    Achei o artigo muito interessante e muito útil. Estou numa situação semelhante e tenho muita curiosidade com a questão do seguro, por causa do volante ser do lado esquerdo. Será que podia avançar alguma informação a esse respeito?

    Cumprimentos,

    Filipe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.