Andanças

Munich

Nos últimos meses fui a Munique duas vezes, em trabalho (a sede da Sky Germany fica em Unterföhring), mas como é habitual neste tipo de viagens, tipicamente estou lá por períodos de um ou dois dias e não se propiciam grandes passeios.

Na primeira viagem, a única coisa que consegui foi ir até à Marienplatz, a praça principal da cidade, ver o mercado de Natal… a fechar (por lá tudo fecha muito cedo), e comer o famoso Schweinshaxe, um joelho (ou uma junta, sei lá) de porco. Gostei bastante, não tão exótico quanto a descrição possa fazer parecer, é um pedaço de porco assado durante algumas horas, com uma crosta bem crocante e um interior semelhante ao “nosso” leitão.

Joelho de Porco @ Haxnbauer

Na segunda viagem fui com um colega mais “batido” por aquelas bandas e já conseguimos fazer um roteiro bem interessante; primeiro jantamos com um colega alemão num local bem típico e menos tourist-trap que o anterior, a Gasthaus Weinbauer; comemos um Kaiser Schnitzel, que é essencialmente um panado, mas sem dúvida o melhor panado que já comi. Nunca percebi bem a pancada de ter um panado como o prato típico (porque, lá está, um panado… é um panado), mas este tinha uma crosta de Pretzels e um molho de mostarda doce que o tornavam bem interessante.

Terminamos esse jantar com um Schnapps de avelã, com os corpos servidos nos cornos de um veado. Pode parecer meio cruel, mas aprendi também nessa noite que os cornos caem naturalmente de ano para ano e são o tecido que cresce mais rápido no reino animal (novo passatempo: naveguem nos vídeos de crescimento de cornos de veado no youtube e contemplem.)

De seguida, partimos de outra praça famosa, a Odeonsplatz, de onde arrancou o Beer Hall Putsch, a primeira tentativa de golpe de estado por parte do Hitler; no seguimento do fracasso alguns dos seus partidários foram mortos e outros presos, incluindo ele próprio. Nessa estadia na prisão ele escreveu o Mein Kampf, saiu por bom comportamento em 9 meses e decidiu enveredar pela via democrática em vez da luta armada. O resto é história.

Por fim, terminamos a noite na Hofbräuhaus, uma cervejaria com um historial tremendo, fundada em 1589 e que, apesar de notoriamente “turistizada”, tenta ser um ex-libris da tradição bávara, com comida típica da Baviera, banda ao vivo a tocar música tradicional durante todo o dia e, acima de tudo, não sei se servem outros tamanhos, mas só vi canecas de cerveja de 1 Litro (e uma imensidão de turistas arruinados). Fora isto, é tão somente também o local onde se realizou a primeira reunião do partido Nazi, numa sala meio escondida no terceiro andar da cervejaria. Não é propriamente escondida, mas não é algo que seja publicitado.

Costumo abstrair-me um bocado do que se passou, mas confesso que desta vez causou-me um certo arrepio estar nestes locais e visualizar o tipo de coisas que ali se passou.

A explorar mais, em ocasiões futuras.

Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.