Desportadas

Sporting Clube da Lua

Esta bandeira podia ter sido verde...

Esta bandeira podia ter sido verde...

Todas as semanas eu ou o meu pai compramos o jornal do Sporting. É óbvio que fazemo-lo por sermos sportinguistas doentes, mas acho que posso dizer, com alguma isenção, que é um jornal com qualidade, pese embora as habituais colunas dos “notáveis” a prestarem vassalagem ao status quo (e às enormes qualidades do “forever”).

Esta semana veio lá uma história muito curiosa. Em 1956, quando o homem ainda não tinha chegado à lua, uma empresa americana de nome Interplanetary Development Corporation começou a vender parcelas de terreno da superfície lunar, pela pechincha de 1 dólar por acre.

Nessa altura, um sócio leonino de seu nome Epaminondas Soutello Gomes (só o nome já torna a história curiosa), apaixonado pelos assuntos relacionados com os astros, decidiu adquirir uma parcela, com o objectivo de… lá fundar uma filial do Sporting. Epaminondas acreditava firmemente que os terráqueos chegariam em breve à lua (teria razão neste ponto). Depois, seria mera questão de tempo até que lá se pudesse habitar (já este ainda tá por provar).

Anúncio de Venda

Numa entrevista ao jornal, publicada a 11 de Dezembro de 1957, Epaminondas explicou as razões que o motivaram a adquirir o terreno: “Levo isto muito a sério: não é «caldeirada» ou coisa semelhante. Existe sim, o propósito de apenas poder engrandecer, mais e melhor, o nosso clube, elevando-o às alturas que ele bem merece.”

Questionado sobre se se sentia humilhado quando se riam dele, Epaminondas disse que “face ao que sofreu Júlio Verne, Galileu e outros génios, quando se riem de mim, parece-me ouvir uma voz que me anima: deixa-os rir, deixa-os comentar, porque esses só se convencem que a panela de pressão é que representa um grande invento, a verdade dos povos!”.

Pese a ingenuidade (ou parvoíce), gabo-lhe a determinação férrea e o amor ao clube acima da razão, coisa rara nos dias que correm. Lamento também não ter conseguido levar a sua avante; essa filial hoje em dia vinha a calhar, para enviar um certo defesa-central campeão do mundo ir lá procurar água, ou um determinado treinador ir ver como é que tá o tempo na lua…

Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.